fbpx

Roteiro Gastronômico

Chefs de cozinha estão sempre à procura de descobertas e de novos usos para seus restaurantes. Estão preocupados tanto com a alquimia dos alimentos, suas combinações, formas de cocção, apresentação e também com a utilização de partes vegetais e partes de animais que tradicionalmente não se encontravam em restaurantes chamados “clássicos”.

Nessa onda, fomos apresentados à cabeça e à barriga do porco, a alguns tipos de formigas, a grãos mastigados e cuspidos por pássaros e a “otras cositas mas”.

O que me surpreendeu entre essas novidades foi o uso de Plantas Alimentícias Não Convencionais ou (PANC e andava muito curiosa para conhecer o Jardim Botânico Plantarum, localizado em Nova Odessa, município de São Paulo, criado e desenvolvido pelo Engenheiro Agrônomo e Botânico Henri Lorenzi. Recomendo a visita.

É um espaço deslumbrante, muito bem cuidado, com lagos, uma variedade enorme de plantas bem identificadas e esculturas de personagens de nosso folclore.

Passar um dia caminhando pelas alamedas, sentando-se nos bancos para apreciar e vivenciar cada detalhe é uma experiência agradabilíssima, além de conhecer plantas desconhecidas para a maioria de nós.

Passamos agora ao restaurante comandado pelo chef Henrique Nunes, chamado Naiah Jardim Botânico, localizado em um casarão dentro do parque.

O cardápio nos surpreende de imediato, com propostas incríveis de pratos à base de PANC, aquelas plantas não comercializadas na maioria dos mercados. São encontradas à beira das estradas, crescem nas calçadas e tem alto valor nutritivo.

Segundo o chef Henrique Nunes com quem tivemos o prazer de conversar, “Podemos coletar, e introduzir essas plantas e ervas em nossa alimentação afim de nos tornarmos mais diversos e aproveitar mais o que a natureza nos entrega espontaneamente”. Porém, cuidado, pois algumas podem ser tóxicas.

Roteiro Erótico

O que você precisa saber antes de embarcar para KHAJURAHO

É impossível viajar para a Índia e não programar uma ida ao Khajuraho, ainda que para uns as esculturas e templos sejam fascinantes, que encantam os olhos com delírios de imaginação, para outros podem ser decepcionantes  embaraçosas e indecentes.A verdade é que para todos as esculturas que adornam os templos são absolutamente instigantes.

Há muitas histórias e mitos sobre as esculturas eróticas do Khajuraho. É possível que nenhum outro lugar seja tão surpreendente e tão cheio de respostas diferentes como esse. É difícil imaginar por que Chandelas, há mais de 1000 anos construiu estes templos devotados ao amor, ao prazer e à luxuria.

Há muitas histórias para explicar a construção destes templos, algumas românticas, outras divertidas e até mesmo religiosas ou de elevação da alma.

Uma delas conta que as esculturas foram criadas para servir de educação sexual, reavivando paixões na mente de pessoas ascéticas  que provavelmente tivessem sido  influenciadas pelo Budismo.

Há ainda várias interpretações que falam sobre as diferentes formas do Hinduísmo, e que sugerem que se deixe para trás a luxúria e o desejo  antes de se entrar no templo, o que provavelmente pode explicar porque não há esculturas dentro dos templos. As figuras de casais fazendo sexo, nas mais incríveis posições, inclusive com animais estão colocadas nas paredes dos templos, do lado de fora.

Outra interpretação diz que as esculturas e templos foram construídos  como formas de “seducidade”, ou centradas no culto tântrico que promoveria e linguagem baseada em uma educação baseada através  de símbolos que despertariam o imaginário das pessoas.

Para mais informações sobre como viajar ao Khajuraho consulte Madya Pradesh Tourism. Se quiser marcar um encontro com os mestres da Galeria Degustar escreva-nos que teremos muito prazer em atendê-los.

Para uma viagem rápida consulte: India Khajuraho Kamasutra Love Temples Erotic Sculptures no You Tube e delicie-se com toda a arte deste lugar exótico e adorável.

Menu